2016 - I'm baaaaack! Ano Novo, Vida Nova :)

O começo de um novo ano é inseparável do estabelecimento de novas metas/objetivos e o desejo de ter um corpo "bonito" acaba por preencher algumas das 12 passas da meia-noite de 1 de janeiro.
No entanto, como todos sabemos, não basta desejar - afinal, santos da casa não fazem milagres... -, há que AGIR! Mais uma vez, não estou a dar novidades a ninguém.
Centremo-nos então nas formas de agir...

«A partir de hoje estou de dieta!»

Muito bem, até porque as festividades trazem muitas calorias pouco saudáveis à mistura. Mas que tipo de dieta? 

«A da Adriana Lima ou da Sara Sampaio? A da Jessica Alba talvez seja melhor...»

Princípio completamente errado. Cada corpo é um corpo. A dieta tem que se adequar às necessidades de cada indivíduo e elas dependem diretamente de fatores como os objetivos (em termos de mudanças no corpo), o estilo de vida (muito/pouco ativo, com/sem exercício físico, tipo de trabalho, horas de descanso...) e, logicamente, com os gostos de cada um (não devemos comer algo só porque até sabemos que faz bem -  comer deve ser um prazer, caso contrário, associamos o prazer de uma refeição apenas a alimentos pouco saudáveis, que é algo totalmente falacioso).

«Não vou comer hidratos nem fritos nos próximos tempos.»

Quanto aos fritos, apoio cegamente! No que toca aos hidratos, há que ter em atenção que eles constituem a principal fonte de energia do organismo e que todos precisamos deles, especialmente antes de treinar ou de trabalhar, pois eles são essenciais não só para o bom funcionamento dos músculos mas também do cérebro! Reduzir a quantidade de hidratos ingeridos com o decorrer do dia será bem mais sensato! E lembrem-se: pequeno-almoço sem hidratos é apenas um snack! E sem um bom pequeno almoço, ninguém se torna fit ;)

«Vou-me rebentar no ginásio para compensar o que comi e o que não treinei ultimamente!»

Ir para o ginásio é um ótimo princípio. No entanto, a ideia de que não precisamos de olhar a meios para atingir os fins não me agrada em nenhum aspeto da vida! O organismo precisa de se adaptar às mudanças e, logicamente, se a mudança for demasiado brusca, o organismo entra em choque e corremos o risco de contrair lesões ou entrar em falência física.
Tudo a seu tempo! O exercício não tem que ser feito no limiar máximo das nossas capacidades para surtir efeitos vantajosos. Nunca devemos descuidar do respeito que devemos ter pelo nosso corpo e pelo seu ritmo: se queremos alterá-lo, há que fazê-lo consciente e calmamente, pois todas as mudanças surgem de pequenas agressões. Se agredirmos em demasia, ele vai querer parar e não é esse, DE TODO, o nosso objetivo.
O ideal, já sabem, é pedirem aconselhamento de um profissional do exercício físico.

«Vou começar a correr!»

Nada contra a corrida, mas, a meu ver, não é uma boa abordagem para iniciar ou recomeçar os treinos. A capacidade de manter a corrida depende diretamente da resistência aeróbia de um indivíduo, que é uma das capacidades motoras que, com um estilo de vida sedentário, se perde mais rapidamente. A necessidade de parar vai desmotivar-vos para o exercício. Caso consigam manter a corrida, há outros aspetos negativos a considerar: 1. o exercício aeróbio de intensidade moderada (o que a maioria dos corredores faz) vai estimular o corpo a criar reservas de energia, algo que no senso comum chamamos de gordura; 2. a maioria do cidadão comum tem uma técnica de corrida errada: para não me adiantar muito em termos de análise de movimento, vou só referir o deficiente apoio plantar, joelhos valgos, levantar os pés realizando apenas flexão dos joelhos e não elevação dos mesmo, hipercifose cervical, entre outros... Começar por correr sem saber bem o que se está a fazer é, portanto uma má opção. Para além disto, o exercício aeróbio só é verdadeiramente eficaz na perda de massa gorda se for feito a intensidade vigorosa, preferencialmente de forma intervalada.
Assim sendo, se ainda não são atletas, deixem a corrida para uma fase posterior!


O que importa realmente é fazer escolhas mais saudáveis e duas coisas muito simples de mudar são os níveis de atividade física e o tipo de alimentação que se faz.
Vão ao ginásio, contratem um PT ou façam exercício em casa! Invistam em vocês, na vossa saúde e no vosso bem-estar. O que importa é mexer, obrigar o corpo a ser ativo, ganhar força, suar uma vez por dia, obrigar o coração a aumentar os bpm's... E, para começar, isso pode ser tão simples como escolher as escadas em vez do elevador.
Comam mais vezes por dia, em quantidades menores, optem por produtos frescos, cozinhem em casa, aumentem a quantidade de frutas e vegetais, deixem de lado comidas processadas ou pré-feitas e refrigerantes, bebam mais água e chá, mais sumos de frutas naturais e vinho tinto QB ;) E, acima de tudo, sorriam e sejam felizes!

Por hoje é tudo!

Bom regresso à realidade depois das festas :D Espero que 2016 vos traga muitas concretizações pessoais e profissionais e que, entre elas, estejam uma maior satisfação com o vosso corpo e mente, resultante de bons treinos e hábitos de vida saudável!




Sem comentários:

Enviar um comentário